Saltar al contenido principal.

Acceso a otros temas jcyl.es

Escudo de la Junta de Castilla y León; Página de inicio

Contacto

Idiomas

Acceso a otros temas jcyl.es

SmartComunidade Rural Digital

Contenido principal. Saltar al inicio.

Atividades

Análise da situação atual do Smart Rural na zona transfronteiriça
O objetivo desta atividade fica circunscrita à análise exaustiva da situação existente no momento atual, quanto ao grau de implementação em matéria “Smart”, assim como o alcance das diferentes tecnologias de IoT. Através destas conclusões irão-se definir e desenhar propostas para a zona transfronteiriça.

AÇÃO 1.1. Estudo do estado atual em matéria “Smart” nas administrações locais do território

Nesta ação será realizado um estudo detalhado do estado atual em matéria “Smart”, referente ao grau de implementação das TIC na gestão de serviços públicos, que existe atualmente nas administrações locais de ambas as regiões. Para isso, será elaborado um estudo do nível de desenvolvimento de iniciativas “Smart”, dando importância as suas características e grau de implementação na zona transfronteiriça. A partir deste estudo será elaborado um relatório com as principais conclusões, tratando de detetar os principais problemas e oportunidades que tenham potencial de incorporação das tecnologias de Internet das Cosas (IoT) que possam proporcionar uma melhoria na gestão dos serviços públicos locais contribuindo, desse modo, ao desenvolvimento sustentável da zona. Será dada especial atenção aos sectores que incidam de forma mais significativa na produtividade e na competitividade tais como a agricultura inteligente, água inteligente, património natural inteligente, património e turismo inteligente, governo inteligente e open data, etc.

Nesta atividade serão definidos KPIs (Key Performance Indicators) ou indicadores-chave para medição do nível smart na zona transfronteira, que permitirá medir, avaliar a eficácia e o grau do progresso inicial e final no projeto.

AÇÃO 1.2. Definição das propostas de intervenção

As administrações locais participantes analisarão os resultados da ação 1.1, avaliando as principais causas e consequências dos distintos graus de adaptação que existem em matéria “Smart”, realizando as propostas que podem ajudar à melhoria da situação atual mediante a gestão inteligente. Desta forma obtém-se um diagnóstico que permitirá conhecer o ponto de partida. As ideias e conhecimentos que se vão gerando através dos diferentes grupos de trabalho, formados pelas administrações parceiras, serão compartilhados. Serão obtidos uma série de resultados adaptados à situação e ao contexto atual real do desenvolvimento do grau “Smart” no espaço transfronteiriço das administrações locais a partir dos quais se irá elaborar uma série de estratégias de intervenção adaptadas aos distintos níveis.

Esta estratégia de intervenção será composta por:

  • Os serviços inteligentes concretos que se desenvolverão na Atividade 2 e a sua extensão posterior no território rural mediante a instalação de sensores e aplicações, definidos na Atividade 3.
  • Os temas específicos das atividades formativas que compõem o plano de qualificação tecnológica que é necessário transmitir aos cidadãos e funcionários públicos na Atividade 4.
Desenvolvimento e implementação de serviços inteligentes
AÇÃO 2.1. Implementação de grupos de trabalho temáticos por áreas de Território Rural Inteligente

Nesta ação será estabelecida uma rede de trabalho com membros das regiões que estão envolvidos na prestação dos serviços atuais que possam implementar as tecnologias para dotar de inteligência o serviço público, consolidando uma rede de técnicos nas administrações locais que se irão encargar de compartilhar informação e decisões das diversas áreas, identificando sinergias na inovação inteligente e recolhendo informação desses serviços através indicadores chaves de desempenho (KPIs). Nestas sessões de trabalho irá ter-se uma visão integral dos desafios que enfrentam as administrações locais e um entendimento claro das necessidades dos serviços em falta. Será realizado o desenho e a deteção dos requisitos de uns serviços mais avançados que os prestados atualmente, em que a capacidade de captar aspetos do meio envolvente mediante sensores, unindo às possibilidades oferecidas pelas técnicas de análise de dados (Big Data), permitirão contar com serviços com uma certa inteligência. Irão-se impulsionar ecossistemas de inovação que facilitem a criação de testes piloto para a implementação destes serviços.

AÇÃO 2.2 Desenvolvimento de serviços inteligentes baseados na Internet das Coisas

O objetivo desta ação baseia-se na implementação dos grupos de trabalho descritos na ação 2.1, onde serão desenvolvidos os diferentes serviços inteligentes assim como as novas perspetivas de análise e tratamento de dados “Big Data”, baseando-se em técnicas de análises de dados, que serão a chave para o desenvolvimento dos serviços inteligentes. Serão realizados testes destes serviços durante o ciclo de vida do desenvolvimento mediante uma adequada integração dos serviços e um acesso a informação por todos os intervenientes em tempo real. Serão desenvolvidos a nível transfronteiriço seminários de intercâmbio de experiencias entre administrações locais para a divulgação do conhecimento em matéria de Smart Rural e IoT com o objetivo de facilitar a inovação e a aprendizagem entre as administrações mediante a criação de canais para a cooperação transfronteiriça.

AÇÃO 2.3. Integração dos serviços inteligentes no funcionamento das administrações locais

Com base nas anteriores ações 2.1 e 2.2, esta ação comtempla a integração dos serviços numa plataforma de gestão inteligente. Esta plataforma será capaz de receber, estruturar, recompilar e processar dados provenientes de diferentes fontes (sensores, redes sociais, aplicações móveis, open data…) adicionando inteligência. Irá existir um órgão de gestão que apoiará as administrações locais para o desenvolvimento destes serviços inteligentes no âmbito local. Também se promoverá a partilha de conhecimento e experiências no desenvolvimento de soluções IoT pelas administrações locais. Será implementado um canal de comunicação em matéria “Smart” tanto interno como externo, mediante publicações de interesse que garantam a implementação e a discussão dos resultados.

Sensorização do território
AÇÃO 3.1. Implantação de sensores e experimentação

Nesta ação irá ser realizado, pelas administrações socias do projeto, a implementação de sensores e dispositivos inteligentes nas zonas transfronteiriças que possibilitem a recolha de dados, e que, com comunicações adequadas e uma gestão inteligente, propiciem a implementação dos serviços inteligentes desenvolvidos na atividade anterior. No início da ação serão estudadas as localizações mais adequadas para realizar a sensorização, procurando o local mais adequado tendo também em conta a disponibilidade de alimentação elétrica, condições para a realização de tarefas de manutenção e ligação à Internet. A informação proporcionada por esta implementação de sensores e sistemas de análises irá permitir uma melhoria no acompanhamento da gestão facilitando a tomada de decisões duma forma mais rápida e eficaz. A implementação consiste na colocação física dos dispositivos e na experimentação com os dados recolhidos, no seu envio e processamento.

AÇÃO 3.2. Transferência de serviços inteligentes a outras administrações

Nesta ação será criado um ambiente favorável para a realização de atividades de inovação em temas da Internet das Coisas e irá incentivar-se a transferência tecnológica dos serviços inteligentes implementados nas administrações locais de ambas regiões mediante recomendações e operações concretas que a facilitem. Serão definidas e implementadas políticas de abertura e reutilização de dados para que outras administrações possam beneficiar dos serviços Smart Rural desenvolvidos.

Estes serviços inteligentes estarão destinados a favorecer a competitividade de empresas e a melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, assim como facilitar o desempenho das atividades económicas das empresas espanholas e portuguesas.

Dinamização do território inteligente, sensibilização e formação
A atividade 4 está centrada na qualificação dos cidadãos e funcionários públicos através da promoção de um polo de inovação para a criação dum ecossistema digital e de inovação com um claro impacto na zona transfronteiriça, desenvolvimento de jornadas dirigidas a cidadãos e empresas que consigam uma adequada e consistente sensibilização da utilização destas tecnologias e um programa de inovação para funcionários públicos locais, a realização de diversos seminários de sensibilização para cidadãos e pequenas empresas para o uso inteligente das tecnologias e a organização de encontros temáticos sobre inovação para técnicos TIC das administrações locais.

AÇÃO 4.1. Promoção de um polo de inovação em IoT e Território Inteligente

Será promovido um polo de inovação no espaço transfronteiriço com o objetivo dinamizar todas as iniciativas que incluam serviços inteligentes e promover o empreendedorismo e a inovação. Diversos agentes se irão concentrar neste polo (incubadoras e aceleradoras de empresas, universidades, câmaras de comercio…) que permitirão criar um ecossistema digital de inovação que estimule e contribua na criação de oportunidades de negócio no âmbito de Smart Rural.

AÇÃO 4.2. Organização de jornadas dirigidas a cidadãos e empresas para a aplicação das novas tecnologias de IoT

Com o objetivo de criar e consolidar um ecossistema de inovação fundamentado nas novas tecnologias de IoT serão organizadas jornadas dirigidas a cidadãos e empresas. Deste modo, será possível aproveitar todo o potencial e as ventagens dos novos serviços Smart Rural oferecidos pelas administrações públicas e estender a inovação em IoT através dos diferentes sectores económicos, construindo sociedades mais competentes e modernizadas através do desenvolvimento sustentável da zona transfronteiriça.

AÇÃO 4.3. Programa de inovação para funcionários das administrações locais

O programa de inovação será articulado como um plano de formação sobre inovação no âmbito ”smart” para funcionários públicos e técnicos TIC das diferentes Administrações Locais transfronteiriças. Este programa será baseado em formação especializada orientada a mostrar a importância da inovação e da tecnologia de IoT para o futuro do mundo rural e especificamente para a melhoria da gestão dos serviços públicos. Este programa irá proporcionar qualificações profissionais aplicáveis no posto de trabalho e diretamente transferíveis a outras entidades locais que tenham um contexto semelhante.

Gestão e Coordenação
Esta atividade incorpora todas as ações necessárias para a correta gestão e coordenação do projeto em todas a suas fases.

AÇÃO 5.1. Acompanhamento financeiro

AÇÃO 5.2. Acompanhamento e avaliação

Comunicação
Para assegurar o bom funcionamento e a divulgação do projeto será desenvolvido um plano de comunicação para o conjunto dos parceiros que será concretizado em cada um dos territórios de atuação, através de planos de comunicação locais.

AÇÃO 6.1. Plano de comunicação e criação de identidade visual

Para assegurar o bom funcionamento e a divulgação do projeto, os resultados e a sua sustentabilidade, será desenvolvido um plano de comunicação que irá conter os objetivos e grupos destinatários, responsáveis da aplicação das medidas de IP, resultados e produtos entregáveis, cronograma, orçamento e um sistema de indicadores que permita a avaliação das medidas IP. Será designado um responsável de comunicação cujas funções serão as seguintes: implementação do plano de comunicação do projeto; produção de material de informativo; organização de eventos e comunicação e divulgação dos resultados do projeto. Será responsável de desenvolver, com a ajuda dos sócios participantes, uma lista de divulgação.

Está prevista a criação de uma identidade visual: criação de um logotipo específico do projeto que sempre será acompanhado do logotipo da União Europeia e do INTERREG.

A página web é um mecanismo de divulgação e comunicação com o qual se pretende chegar ao maior número de pessoas e melhorar o troca de informação. Durante todo o projeto e depois do seu encerramento, existirão links desde as páginas web das entidades participantes. A Junta de Castilla y León coloca a disposição do projeto, sem custos, a criação da página web desta iniciativa sobre a plataforma tecnológica www.jcyl.es. Será enviada uma newsletter com notícias, eventos relacionados com o projeto e informação de interesse na aplicação das TIC nas entidades locais. Será elaborado um vídeo promocional dos principais eixos de atuação do projeto e os resultados e logros conseguidos durante o mesmo.

Será implementada uma intranet de uso restrito entre os sócios como ferramenta de informação sobre o projeto (noticias de interesse, lista de divulgação de boas práticas, publicação de produtos/resultados do projeto, etc.).

AÇÃO 6.2. Elaboração de material de divulgação e informação: o material de divulgação que será elaborado consiste em:

  • O desenho do logotipo e imagem corporativa do projeto
  • Pastas com informação do projeto e imagem corporativa
  • Pósteres
  • ​Folheto do projeto
  • Material promocional: sacos, cadernos, canetas, etc.

AÇÃO 6.3. Seminários de sensibilização e de divulgação do projeto

Será organizada uma Jornada geral de apresentação do projeto em Valladolid (Espanha) no primeiro trimestre de 2019. Para uma melhor divulgação serão elaborados folhetos e feitos comunicados de imprensa. No finalizar do projeto durante o decorrer do segundo semestre de 2021, será organizada uma Jornada de encerramento em Portugal. Participarão nessa jornada as administrações Públicas do projeto. Será divulgado um panfleto informativo com os casos de êxito nesta ocasião. Os restantes sócios organizarão localmente uma jornada de divulgação do projeto entre os principais agentes de cada um dos territórios do POCTEP. Todos os sócios poderão subcontratar parte da organização das jornadas de apresentação e divulgação dos resultados em conformidade com o estabelecido na normativa em vigor.

Para a jornada de abertura e a jornada de encerramento será convocada uma conferência de imprensa.